Ensaio de Esclerometria – Como o Esclerômetro de Reflexão Funciona

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Ensaio de Esclerometria Esclerometro de Reflexão

Você já ouviu falar sobre o Ensaio de Esclerometria? Veja neste Artigo como o Esclerômetro de Reflexão pode ser útil em sua Obra.

Quem trabalha com construção civil, já está acostumado a ouvir falar e realizar ensaios técnicos de Engenharia. Já o termo ensaio de esclerometria trata-se de algo pouco conhecido, infelizmente.

É comum realizar ensaio de rompimento de corpo de prova para avaliar a Resistência do Concreto, porém as vezes este procedimento antigo torna-se inviável. Para solucionar isto, o ideal é a realização de um Ensaio de Esclerometria utilizando um Esclerômetro de Reflexão.

Para o engenheiro civil e demais profissionais da área, a esclerometria é algo essencial para a avaliação da qualidade do concreto usado em uma construção com o concreto já curado.

O principal objetivo desse ensaio é medir qual a dureza superficial do concreto, considerando várias partes diferentes de uma determinada estrutura, para assim determinar a resistência em FCK (em MPA) do Concreto.

Portanto, para saber mais sobre o que é o ensaio de esclerometria, para que serve e demais características, é só continuar lendo.

 

O que é o ensaio de esclerometria? Como funciona

O ensaio de esclerometria é um tipo de ensaio não destrutivo, e consiste em um método utilizado para determinar o valor aproximado da resistência do concreto endurecido, em relação à compressão superficial que ele apresenta, e também sobre a sua uniformidade.

De uma forma resumida, é uma maneira de determinar a dureza superficial apresentada pelo concreto endurecido.

A realização do ensaio de esclerometria é feita com uma massa martelo que se choca com a área que está sendo submetida ao teste. Para isso, essa massa martelo recebe o impulso de uma mola.

Dessa forma, quanto maior for a dureza da superfície, menor será a deformação permanente, assim como também será menor a reflexão da massa martelo, ou o seu recuo.

Dessa forma, ele permite uma avaliação das características mecânicas através das curvas de correlação. Além disso, o ensaio de esclerometria também consegue analisar as alterações ocorridas ao longo do tempo nas propriedades do concreto.

É necessário realizar esse ensaio 9 vezes na mesma estrutura que está sendo analisada. Assim, cada um dos resultados apresentados passa por uma análise bem criteriosa. Em seguida, é feita uma média e também a correção.

 

Para que serve o ensaio de esclerometria?

O ensaio de esclerometria, assim como os demais tipos de ensaios, é importante para que o engenheiro civil consiga identificar qual é a situação real da estrutura que está sendo analisada. Dessa maneira, ele consegue avaliar se a mesma precisa ser submetida a um tratamento específico ou não.

A realização desse ensaio contribui para uma maior economia, mais qualidade dos bens e serviços, além da preservação não só do meio ambiente, como também da vida.

 

O que é o esclerômetro de reflexão

O esclerômetro de reflexão é o equipamento usado para a realização do ensaio de esclerometria. É ideal para estruturas submetidas ao fogo, em peças pré-fabricadas, congelamento, determinação rápida em estruturas novas e etc.

 

Tipos de Esclerômetro de Reflexão

Basicamente, existem dois Tipos de Esclerômetros: Analógico e Digital.

Não existe diferença de precisão entre ambos, oque muda é a facilidade em sua utilização, além do preço.

A precisão do Esclerômetro está muito mais ligada a sua Utilização e a sua Manutenção.

A Manutenção do Esclerômetro se dá através de sua calibração, que deve ser realizada a cada 300 golpes.

 

Quanto Custa um Esclerômetro de Reflexão?

O Esclerômetro de Reflexão Analógico custa em torno de RS3.000,00, já o Digital a partir de R$7.000,00, segundo uma rápida pesquisa de mercado que realizamos.

Além disso, deve ser calibrado a cada 300 golpes em uma empresa especializada.

 

O que são ensaios não destrutivos (END) na Engenharia

Os ensaios não destrutivos são técnicas usadas para a realização de inspeções de equipamentos e de materiais, sem danificá-los ou destruí-los.

Eles são feitos nas seguintes etapas: fabricação, construção, na montagem e também na manutenção.

Além disso, eles possibilitam coletar informações a respeito de localização, de tamanho, das condições físicas, da profundidade, e também dos parâmetros associados não só aos riscos de danos à construção e à sua estrutura, como também ao processo de deterioração em si.

Assim, todos os processos de ensaios não destrutivos são feitos de forma que eles causem o mínimo possível de prejuízo à estrutura, ou nenhum prejuízo, o que é melhor ainda.

Dessa maneira, os ensaios não destrutivos, como é o caso do ensaio de esclerometria, por exemplo, são considerados como ferramentas de controle de qualidade fundamentais não apenas para o monitoramento dos componentes e dos materiais, coo também pelo controle de qualidade nos mais diversos setores da indústria, assim como na construção civil.

 

Tipos de ensaios não destrutivos

O ensaio de esclerometria é o tipo de ensaio não destrutivo mais comum, sendo amplamente usado no mundo inteiro, para que se possa realizar uma primeira análise sobre a qualidade do concreto usado na obra.

No entanto, além dele, existem outros tipos também. São eles:

  • Ultrassom: que consiste em ensaios feitos no concreto com o objetivo de verificar sobre descontinuidades no mesmo.
  • Resistência à penetração: feito com o uso de um penetômetro Windor, que se trata de um aparelho que envia um pino contra a área que está sendo estudada.
  • Pacometria: esse ensaio visa avaliar como está a armadura dentro do concreto, assim como o seu comprimento, suas condições e seu diâmetro também.
  • Termografia infravermelha: trata-se de um método que permite identificar vazios internos, grandes defeitos, assim como delaminações no interior da estrutura de concreto. Além disso, ele pode ser feito não só a técnica passiva, como também com a técnica ativa.
  • Medição da maturidade: é um tipo de ensaio que possibilita a estimativa de qual é a resistência do concreto através da temperatura e do histórico de tempo.

 

O Resultado do Esclerômetro de Reflexão é Confiável?

A Confiabilidade do Ensaio de Esclerometria é muito alta quando bem realizada, com margem de 5% de erro.

Entretanto, esta margem de erro pode ser de até 60% quando o Esclerômetro de Reflexão não é bem utilizado.

Para ser cofiável, o equipamento deve ser utilizado por um Técnico capacitado,realizando o ensaio de acordo com a NBR 7584 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e demais normas internacionais, avaliando a profundidade da carbonatação do Concreto corretamente, realizando a medição de acordo com as especificações do Fabricante etc.

 

Quem pode realizar o Ensaio de Esclerometria com o Esclerômetro de Reflexão?

O profissional mais qualificado para a realização do Ensaio com Esclerômetro de Reflexão é o Engenheiro Civil, devidamente habilitado em seu conselho de classe (CREA), emitindo Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

 

Vantagens e Desvantagens do Ensaio de Esclerometria

Como tudo na vida, existem dois lados e serem ponderados na opção do método de ensaio técnico, são eles:

Vantagens:

  • Método não destrutivo, ou seja, não é necessário a extração de corpo de prova, oque muitas vezes é a única opção viável.
  • Segurança: Não afeta a estrutura existente, evitando o uso de escoras e recuperação estrutural após o ensaio.
  • Economia: Pode ser mais econômico do que a extração do corpo de provas na maioria dos casos, principalmente em Pilares.
  • As vezes é a única opção disponível.
  • Técnica Rápida, silenciosa e limpa.

Desvantagens:

  • É mais caro do que a modelagem de corpo de provas (quando o corpo de prova é preenchido “in-loco”)
  • Exige Profissional Qualificado (Engenheiro Civil) para a sua correta realização e confiabilidade do ensaio.
  • Necessário o retrabalho de refazer o acabamento do elemento estrutural, caso já o possua.

 

Quanto Custa um Ensaio de Esclerometria?

O preço varia por Região, mas a média é em torno de 3/4 do Salário Mínimo Vigente, para cada 9 golpes em um ponto de teste em um elemento estrutural.

O valor se justifica pois o Engenheiro que realiza o Ensaio, pois além do Ensaio in-loco, os valores devem ser anotados e realizado cálculos específicos em seu escritório para a determinação da Resistência do Concreto.

Além disso, emitida a ART, o Engenheiro torna-se responsável pela resistência do Concreto do elemento ensaiado.

 

Realizamos Ensaio de Esclerometria em toda a Região de Londrina!

Caso queira mais informações a respeito do ensaio de esclerometria, clique aqui e entre em contato com Engenheiro Civil de Londrina Gustavo Zampa. Ele poderá esclarecer todas as suas dúvidas sobre essas e outras questões ligadas à construção civil.

Esse post foi útil? Então, deixe o seu comentário e compartilhe com os seus contatos.

Engenheiro Civil de Londrina. Especialista em Estruturas e Patologias de Construção Civil, executa projetos estruturais e de fundação, bem como Laudos, Perícias e Pareceres, além de Execução de Obras. “Seu Deus, nada sou”

Participe! Deixe um comentário.

Assine nossa newsletter

Se cadastre e receba conteúdos relevantes por email.

× (43) 99191-6682